Como saber comunicar como os actores? Cláudia Semedo

Como saber comunicar como os actores? Cláudia Semedo
Spotify
Apple Podcasts
Google Podcasts
Whatsapp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Email
RSS
Ouvir no telemóvel

Hoje subimos ao palco.
Para ter o sabor do que se sente em frente a um público.
É provavelmente dos exercícios mais difíceis em comunicação.
Temos uma mensagem, temos uma forma de mostrar essa mensagem e um público que, ao mesmo tempo, é ávido e exigente.

TÓPICOS

00:00:12 – A arte da comunicação no teatro
Introdução do tema do episódio, destacando a importância da comunicação no teatro.

00:01:42 – A experiência de Cláudia Semedo como atriz
Cláudia Semedo fala sobre a sua experiência a trabalhar com dobragens e teatro.

00:03:03 – O processo de dobragem e o trabalho de concentração
Cláudia Semedo explica como funciona o processo de dobragem, incluindo a sincronização da voz com as bocas das personagens e a necessidade de concentração durante o trabalho.

00:07:13 – O processo criativo de Cláudia Semedo
Cláudia Semedo fala sobre o seu processo criativo como atriz, encenadora e apresentadora, destacando a importância da observação do mundo e da reinvenção constante na arte.

00:09:29 – A inquietação social de Cláudia Semedo
Cláudia Semedo menciona a sua peça “Zé Alguém”, que aborda a realidade dos sem-abrigo, e discute a crise habitacional e a falta de solidariedade na sociedade.

00:11:55 – A necessidade de pragmatismo e defesa
Cláudia Semedo argumenta que a dessensibilização social é uma forma de sobrevivência e defesa perante as injustiças e problemas estruturais do país, destacando a competição e a educação como fatores que contribuem para essa mentalidade individualista.

00:12:59 – A importância da educação para a criatividade
Neste trecho, a palestrante fala sobre a necessidade de uma educação que estimule a criatividade e o pensamento crítico.

00:14:06 – O medo do outro e o racismo
Nesta parte, discute-se o aumento do racismo e da xenofobia na sociedade, bem como a incompreensão do outro e o medo do desconhecido.

00:17:08 – A presença do racismo na sociedade
Neste momento, a palestrante aborda a presença do racismo estrutural na sociedade, destacando a marca da escravidão e da colonização.

00:20:10 – A experiência no programa de televisão
Cláudia Semedo fala sobre a sua participação num programa de televisão de culinária e como foi uma experiência intensa e emocionalmente impactante.

00:22:20 – A paixão pela culinária
Cláudia revela o seu amor pela culinária e como gostaria de ter estudado cozinha na escola de hotelaria, destacando a importância dos alimentos para a saúde.

00:23:39 – Lidando com o fracasso
Cláudia discute a sua postura relativamente ao fracasso, enfatizando que vê as experiências como processos e não como sucessos ou fracassos.

00:25:29 – A experiência de dobragem e teatro
Cláudia Semedo fala sobre a sua experiência a trabalhar com dobragem de desenhos animados e atuação no palco.

00:26:01 – A criação da receita de nuvem de ovo
Cláudia Semedo explica como inventou a receita de nuvem de ovo e os desafios que enfrentou durante o processo.

00:28:37 – A decisão de sair de um programa de culinária
Cláudia Semedo fala sobre a sua decisão de sair de um programa de culinária e os motivos que a levaram a tomar essa decisão.

00:31:49 – A decisão difícil
Os palestrantes discutem um dilema difícil de resolver sobre a agenda de espetáculos e gravações de um programa.

00:32:59 – Sentimentos no palco
Cláudia Semedo fala sobre as suas diferentes experiências e emoções ao atuar no palco.

00:36:17 – Personagens desafiadoras
Os palestrantes discutem a importância de atores saírem da sua zona de conforto e interpretarem personagens que são diferentes da sua personalidade.

00:37:07 – O trabalho de dobragem e teatro
Cláudia Semedo fala sobre sair da zona de conforto na dobragem e teatro, explorando personagens diferentes.

00:37:27 – A direção no teatro
Discussão sobre a direção no teatro e como vai além de apenas ler o texto, envolvendo modulação e estímulos diferentes.

00:39:11 – Os desafios das mulheres no teatro
Cláudia Semedo fala sobre a dificuldade das mulheres em conseguir espaço e poder no teatro, destacando a luta pela equidade nos círculos de poder.

00:43:18 – A importância da comunidade no teatro
Cláudia Semedo fala sobre a estrutura de uma companhia de teatro como uma casa e uma família que adora criar.

00:43:49 – A importância de discutir e discordar
Cláudia Semedo defende a importância de discutir e discordar, enfatizando que cada pessoa tem a sua própria subjetividade e experiência.

00:45:03 – A importância de ouvir e entender diferentes perspetivas
Cláudia Semedo destaca a importância de estarmos abertos a ouvir e entender de que lugar outra pessoa está a falar, valorizando as diferentes perspetivas

.

Os actores sentem todos os dias esse desejo de comunicar bem, de fazer sentir emoções e de ser julgados a todo o momento.
A arte do entretenimento só funciona verdadeiramente pelo reconhecimento do público.

E nesse processo de entregar emoções através do gesto e da palavra, cada actor entrega-se totalmente. O que significa prazer e nervos.

Num exercício de alma, corpo e voz.

A voz pode contar grandes histórias.
Pela entoação. Pelas pausas.
Pelo ritmo das palavras.
Juntamos-lhe o movimento do corpo, do gesto, do olhar.
Colocamos uma pitada de respiração suspensa ou suspiro profundo.
E usamos como base deste prato a proteína principal das emoções: o riso e o choro.
Depois basta, e o basta não é pouco, basta subir ao palco e criar a magia que hipnotiza o público.
Aquela magia que nos faz esquecer a pessoa atriz e nos mete, de cabeça, na pessoa personagem.
E tudo acontece.
Rimos e choramos. Às vezes numa mistura sem fronteiras.
Como quando choramos a rir. Ou dos rimos dos nervos.
Proponho que subamos ao palco com a atriz Cláudia Semedo.
E sigamos a sua voz.
A voz que dobra a fala de personagens de desenhos animados.
A voz em que é um pirilampo numa peça de teatro.
A voz que aceitou fazer enquanto concorrente na cozinha do chefe Lubomir.
Mas esta voz vai beber fundo para nos oferecer um menu de emoções.
Da maneira como observa o mundo. Como se inquieta com as nossas disfunções sociais. Ora as pessoas sem abrigo, ora as mulheres que deixam escapar a bandeira de um mundo mais equilibrado e diverso.

Este palco é muito grande. Não fiquem só aí na plateia.
Subam. É a vossa vez. Querem fazer um boneco animado ou uma pessoa real?

LER A TRANSCRIÇÃO DO EPISÓDIO

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *