Rogério Alves | Como falar bem?

Rogério Alves | Como falar bem?
Apple PodcastsSpotifyGoogle PodcastsPocketCastsOvercastRSS

É um comunicador nato e explica como o faz todos os dias.

Tribunais, aulas ou televisão são os seus palcos naturais.

E partilha alguns dos seus truques principais para manter a audiência interessada.

Hoje falamos de quem nasceu para falar.

Todos conhecemos pessoas que falam bem.

Que falam muito bem mesmo.

Será que nasceram assim?

Será que treinaram arduamente para chegar a um nível superior?

Exploramos estas pistas no episódio de hoje.

Tenho sempre uma lista atualizada das pessoas que me apetece ouvir falar.

Pessoas que seriam, potencialmente bons conversadores para partilhar com a audiência.

Mas a minha lista não uma simples sequência de nome e papéis.

Além do nome e da função social ou motivo para a conversa escrevo uma pequena descrição e logo a seguir a pergunta inicial, a curiosidade inicial que me fez pensar que aquela pessoa deve ser convidada.

Neste caso particular podia ter escrito:

Rogério Alves, advogado.

Mas não escrevi.

Porque me interessava falar com ele sobre comunicação pura.

Em particular sobre comunicação oral.

Sobre a arte da oratória.

Por isso escrevi no meu caderninho:

“Rogério Alves, um homem que sabe falar”

E parti em busca de saber como é que ele se organiza mentalmente para que depois apenas nos sirva palavras ordenadas, simples, rápidas e facilmente percebidas.

Claro que a conversa não fica só numa reflexão sobre a arte de comunicar.

Seria impossível ficar só aqui.

E lá fomos nós desfiando palavras e pensamentos sobre a ética, a governação do mundo e a maneira de se ser humano.

O talento natural para falar é uma bênção.

E o treino dá uma boa ajuda.

Quem nasceu com o dom da comunicação pode atingir mais rapidamente a excelência. Quem for menos dotado tem de aprender e repetir mais vezes para chegar à mesma bitola.

Mas nada dispensa o saber da matéria sobre a qual se fala.

É que falar sem conteúdo é propaganda vazia.

Comunicar mal um bom conteúdo é uma perda de tempo.

Esta edição tem múltiplas dicas de como bem comunicar.

A mais relevante de todas: a audiência é quem manda.

O comunicador está ao serviço da audiência e não de si próprio.

Quem não seguir esta regra arrisca fazer monólogos para o seu espelho. E isso não é comunicar. É autoestimulação do ego.


Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *