Como contar uma boa história? Joana Latino

Como contar uma boa história? Joana Latino
Spotify
Apple Podcasts
Google Podcasts
Whatsapp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Email
RSS
Ouvir no telemóvel

Será que o jornalismo dos tempos em que vivemos está a ser demasiado snob?

Uma forma de ser e estar em que aqueles que servem para testemunhar o mundo se demitem da sua função social primordial.

Pode ser essa uma das bases da crise dos media clássicos de hoje?

TEMAS & TÓPICOS DE CONVERSA:

📺 Televisão e Rádio: Bastidores Revelados Descubram comigo as ‘nuances’ de trabalhar em frente e atrás das câmaras. Aprenda sobre a adrenalina de entrevistar grandes nomes como Saramago sem um guião pré-definido e como a confiança na equipa é crucial na TV, enquanto na rádio, o peso das responsabilidades é imenso e mais individual.

🌐 Redes Sociais e Tecnologia: Uma Espada de Dois Gumes Debatemos a dualidade das redes sociais, que tanto nos conectam quanto podem nos expor a riscos. E não deixem de ouvir a visão de Joana Latino sobre a importância de educarmos as novas gerações para um uso consciente e responsável da tecnologia.

👀 A Imagem na Televisão: Conteúdo ou Aparência? Como uma “mulher real” que desafia os estereótipos da TV, compartilha as suas reflexões sobre a transição da rádio para a televisão e como a imagem pode tanto atrair o público quanto desviar a atenção do que realmente importa: o conteúdo.

📚 Educação e Tecnologia: O Papel dos Adultos Discutimos a responsabilidade dos adultos em orientar os jovens, comparando o uso da tecnologia com as lições de vida que experimentámos.

🎙️ Jornalismo com Coração Por fim, mergulhamos na arte de contar histórias que tocam o coração, e como um bom jornalismo deve sempre buscar a verdade que ressoa com a emoção e a empatia.

CAPíTULOS:

(00:03:07) A experiência televisiva Joana e o entrevistador discutem sobre a falta de perguntas escritas em entrevistas e momentos de pânico.

(00:04:32) Trabalho em equipa na televisão e na rádio. Joana compara a dinâmica de trabalho em equipe na televisão e na rádio, destacando a vantagem da televisão.

(00:07:15) A influência das redes sociais e da tecnologia na sociedade atual. A discussão aborda a fama, a construção imagética, e a influência das redes sociais na sociedade.

(00:09:25) A responsabilidade dos adultos na educação sobre o uso adequado da tecnologia Joana fala sobre a responsabilidade dos adultos em educar as gerações mais jovens sobre o uso adequado da tecnologia.

(00:14:45) A importância do conteúdo e da imagem na televisão. A importância do conteúdo e da imagem na televisão é discutida, ressaltando a relevância do embrulho e do conteúdo.

(00:15:23) O início da carreira na televisão. Joana fala sobre a sua entrada na televisão e a sua experiência no Passadeira Vermelha.

(00:17:03) A importância das boas histórias no jornalismo. Joana discute os princípios de uma boa história e a falta de foco no jornalismo atual.

(00:19:14) A transformação do jornalismo e a influência das audiências. Joana aborda a transformação do jornalismo devido a interesses comerciais e a importância das emoções.

(00:20:07) A representação do Portugal profundo na televisão Joana destaca a importância de retratar o Portugal mais verdadeiro na televisão.

(00:22:17) A influência dos influenciadores e opinion makers Joana comenta sobre a influência das personalidades públicas e a mudança na forma como são chamadas.

(00:24:25) A interação com pessoas no programa. Joana fala sobre a interação com pessoas no programa e como conquista a atenção delas.

(00:26:19) A curiosidade e aprendizagem com as pessoas mais velhas. Joana destaca a sua humildade e curiosidade ao interagir com pessoas mais velhas no programa.

(00:27:15) A importância da autenticidade Joana fala sobre a importância de capturar a autenticidade das pessoas ao contar histórias.

(00:28:59) Momentos marcantes na carreira. Joana compartilha uma experiência marcante ao entrevistar mineiros numa mina desativada.

(00:31:29) A festa de São João d’Arga. Joana descreve a experiência única da romaria de São João d’Arga, uma festa comunitária e espiritual.

(00:38:32) A curiosidade como motor. Joana discute a importância da curiosidade e do olhar renovado na sua abordagem jornalística.

(00:40:39) O desafio da seleção de imagens. Joana fala sobre o desafio de decidir quais imagens violentas devem ser mostradas no jornalismo.

(00:40:57) A importância da linguagem visual Joana discute a importância de contar histórias visualmente e como a linguagem visual pode impactar emocionalmente os espectadores.

(00:42:56) O poder das imagens Joana fala sobre a responsabilidade de apresentar imagens chocantes e como essas imagens podem afetar o público.

(00:43:54) A narrativa emocional Joana explica como construiu uma peça jornalística emocional, destacando a importância de transmitir emoções através das histórias.

(00:48:26) A assinatura do jornalismo. Joana discute como a sua forma de escrever e contar histórias é sua assinatura no jornalismo, e como isso influencia suas peças.

(00:51:37) O futuro do jornalismo Joana e o entrevistador debatem sobre o futuro do jornalismo, incluindo a narrativa, a proximidade e a reinvenção do jornalismo.

(00:53:38) Horários de televisão Joana discute a falta de consideração das emissoras pelos horários normais das pessoas.

(00:54:22) Visibilidade na televisão O entrevistador fala sobre a visibilidade e fama de certas personalidades na televisão.

(00:54:46) Afastamento dos jovens Joana questiona por que a televisão afasta os jovens e como atrair a atenção deles.

(00:55:59) Porosidade da informação Discussão sobre a porosidade da informação entre televisão e redes sociais.

(00:56:47) Importância das redes sociais. Joana destaca a importância das emissoras estarem presentes nas redes sociais para atrair o público jovem.

(00:57:14) Vantagens do podcast Conversa sobre as vantagens do podcast em comparação com outros meios de comunicação.

(00:58:29) Entrevista e perguntas .Joana fala sobre a realização de entrevistas e a importância das perguntas feitas.

(01:00:53) Reportagens inusitadas. Joana fala sobre a busca por reportagens inusitadas e a transmissão da verdade na televisão.

(01:05:02) A explicação de uma claquete. Discussão sobre a definição e uso de uma claquete.

(01:05:05) Brincadeira com a claquete. Momento de brincadeira com a claquete.

TEXTO DE ABERTURA

Regresso trinta anos atrás no tempo.

Estamos ambos na Rua do Quelhas em Lisboa.

Divididos entre o número 10, onde vivia a redação e o número 2, onde criávamos as manhãs da telefonia.

Tenho a sorte de receber Joana Latino no seu primeiro dia de trabalho como jovem jornalista.

Trinta anos volvidos, mantém aquilo que já era óbvio por esses tempos: uma insaciável curiosidade pelo mundo, uma rapidez de raciocínio com as palavras e um delicado instrumento de tradução simultânea entre as complexidades do mundo e a exigência da simplificação radical da realidade em poucos segundos.

É nessa escola da rádio pública, à altura mais RDP, hoje mais Antena 1, 2 e 3, que Joana Latino decanta a sua forma de ver e contar histórias.

Os ingredientes da culinária desta forma de fazer jornalismo são agora bem conhecidos pela sua voz, na SIC.

Ora a contar as dores da guerra, ou a última alegria da polis; ora a viajar pelo país em modo de investigação etnográfica, contando a forma de ser portuguesa pela voz dos nossos mais puros guardiões dos segredos dos sabores e sons de Portugal.

Esta edição, com Joana Latino, jornalista, é uma viagem pelo jornalismo em que sempre me revi: o das boas histórias. E o da liberdade permanente para fazer perguntas.

As escritas ou simplesmente pensadas e mantidas na cabeça e prontas para ser postas ao serviço de cada ouvinte, de cada leitor, de cada espectador

O jornalismo é uma forma de ver o mundo.

E de criar uma narrativa que nos permite entender melhor o presente.

Os jornalistas são testemunhas profissionais e criadores de histórias baseadas no real.

Mas são principalmente curadores e mediadores. Escolhem factos, ângulos e vozes.

São vitais como contrapor nas sociedades modernas.

Por isso, as notícias do jornal, rádio, televisão ou ‘internet’ serão sempre mais do que conteúdos. São contextos. São perguntas. São alertas e espantos.

O contrário é anestesia social.

É melhor não adormecer.

LER A TRANSCRIÇÃO DO EPISÓDIO

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *